Eficiência e responsabilidade com o patrimônio cultural e arqueológico nacional
Seu quadro é composto por arqueólogos, sociólogos, arquitetos, advogados e administradores de empresa formados nas melhores universidades e cursos de mestrado e doutorado do país, que utilizam sua expertise para atuar com grande eficiência e responsabilidade com o patrimônio cultural e arqueológico nacional.

www.arqueologiabrasil.com.brwww.pousadadaararas.com.brwww.pousadadocomandante.tur.brwww.portogeraes.com.brwww.riojardimpraiahotel.com.brwww.altaimobiliaria.hpg.com.brwww.giuseppelocadora.com.brwww.fishfinder.com.brwww.fazesporte.comwww.toplevel.com.br

O principal compromisso da Arqueologia Brasil é dar suporte técnico, jurídico e de gerenciamento àquelas empresas ou órgãos do governo interessados em implantar seus projetos de engenharia e de infra-estrutura em qualquer ponto do nosso território com a transparência que a legislação determina e a sustentabilidade ambiental que a sociedade brasileira almeja.

Para essa tarefa a empresa conta com parceiros como o Acervo – Centro de Referência em Patrimônio e Pesquisa, instituição que possibilita à Arqueologia Brasil contar com uma infra-estrutura e um quadro técnico que a permite desenvolver com excelência os procedimentos para análise, curadoria e guarda definitiva do material arqueológico coletado nas escavações. Arqueólogo e Cientista Social (FFLCH/USP), com Mestrado e Doutorado em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP). Foi pesquisador do Núcleo de Estudos Estratégicos da UNICAMP e atualmente é professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Arqueológicas da Bahia (NEPAB/UESC). Entre as diversas publicações científicas e de divulgação, é autor do livro “Índios e Africanos na Jundiaí Por fim, o Projeto Científico. Nesse projeto é necessário contemplar os procedimentos teórico-metodológicos a serem utilizados, cronograma, equipe técnica etc. Além disso, necessariamente, deve conter as coordenadas do empreendimento e algumas características técnicas básicas da obra tais como extensão, largura, caminhos de acessos etc. De posse dessas informações será solicitada ao IPHAN a portaria autorizando a pesquisa arqueológica dentro de 4 vértices (explicitados sob a forma de coordenadas geográficas) que abranjam a área de implantação do empreendimento.Colonial” (2002) e consultor do recém-lançado “Brasil Rupestre: Arte pré-histórica brasileira” (2007). Arqueólogo e Arquiteto (FAU-Santos), Mestre em Antropologia/Arqueologia (FFCH/UFBA) e Doutorando em Conservação e Restauro do Patrimônio Histórico (PPG-AU/UFBA). É pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Arqueológicas da Bahia (NEPAB/UESC) e Presidente do ACERVO - Centro de Referência em Patrimônio e Pesquisa. Para o desenvolvimento de um Programa de Pesquisa Arqueológica o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) solicita uma série de documentos, a saber: 1) Endosso institucional.A Arqueologia Brasil é uma empresa especializada na Gestão de Recursos Culturais que oferece seus serviços para Estudos de Impacto Ambiental nas áreas de Arqueologia e Patrimônio Cultural, Planos de Manejo e Restauro e Conservação de Edificações. 2) Endosso financeiro. 3) Projeto Científico com os currículos dos coordenadores da pesquisa arqueológica. De posse desses documentos o órgão federal emite uma portaria no Diário Oficial da União em nome dos coordenadores do projeto autorizando os trabalhos por um determinado prazo, em uma dada região. O endosso institucional, que a Arqueologia Brasil se encarrega de solicitar, deverá ser emitido por uma instituição de pesquisa ou museu. Já o endosso financeiro é um documento reconhecido em cartório atestando quem fornecerá o suporte financeiro para o desenvolvimento dos trabalhos. Ele deverá ser fornecido pela contratante, ou seja, a empresa que está implantando a obra ou desenvolvendo o projeto.